Slides da Defesa

Vigilância em Saúde do Trabalhador:

a formação de agentes multiplicadores

no âmbito da RENAST

 

A formação de recursos humanos para o Sistema Único de Saúde (SUS) surge como tema de fundamental importância na atualidade. Traz à tona a incorporação do campo da saúde do trabalhador como prática da vigilância em saúde nas práticas cotidianas. Esta luta e debate teve seu momento de maior visibilidade e efervescência na Reforma Sanitária Brasileira e com a Constituição Federal de 1988. Desde então, várias iniciativas foram sendo tomadas e uma delas é o curso de Formação de Multiplicadores de Vigilância em Saúde do Trabalhador (Visat) realizado em parceria do Ministério da Saúde com a Fiocruz. Os multiplicadores formados passam a ser responsáveis por ministrarem cursos básicos de Visat para a rede de saúde do trabalhador do SUS, incluindo representantes do controle social. A metodologia proposta é baseada na Educação Permanente em Saúde. Para responder à questão norteadora da pesquisa elaborou-se um questionário, buscando identificar se o projeto pedagógico do curso atende às necessidades relativas ao exercício profissional e se a formação oferecida, em acordo à norma jurídica, é adequada à realidade em que estão inseridos os trabalhadores. O objetivo do estudo consistiu em investigar a percepção dos egressos formados no período 2013-2017 nas Regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. A pesquisa, qualitativa, caracterizou-se como descritiva, com aplicação de questionário por meio eletrônico, garantido o anonimato dos participantes. Como resultado, 100% dos respondentes consideraram-se preparados para ministrar aulas e 94,5% assinalaram que as atividades pedagógicas e o material didático contribuíram para o seu desempenho pessoal e profissional. 52,8% já tiveram a oportunidade de ministrar cursos básicos de Visat, e todos os demais (100%) manifestaram o desejo de serem convocados. Nas respostas abertas ficou claro o desejo de ampliação do curso de formação, de maior apoio da gestão local, mais compromisso das vigilâncias com os Centros de Referência em Saúde do Trabalhador e pleno comprometimento dos sindicatos. Avaliaram, ainda, positivamente, o contato com colegas de outras localidades, consideraram o tempo destinado às aulas teóricas e práticas adequado e enfatizaram a necessidade do curso dispor de mais atividades regulares de formação continuada. Constatou-se que a proposta do curso de investir em recursos humanos para o SUS e no desenvolvimento profissional para a Visat, apresentou resultados positivos significativos.

Jaque ouvindo a Banca